A antiga tradição védica tem preservado através de toda a história humana o conhecimento completo desse campo fundamental da lei natural. Nas últimas décadas, a física moderna também começou a vislumbrar a realidade desse nível mais básico do funcionamento da natureza. Muitos físicos, por exemplo, vieram a perceber a unidade subjacente entre a inteligência na natureza e a inteligência da mente humana. Eles perceberam que fórmulas matemáticas criadas livremente pela mente humana correspondiam exatamente ao funcionamento das leis da natureza.

Imagem2

Esse paralelo entre a inteligência humana e a inteligência da natureza é a razão porque muitos físicos do século XX concluíram que o constituinte mais básico da criação é de fato a inteligência ou a própria consciência. Mas Planck, um dos fundadores da revolução mecânico-quântica, disse: “Eu considero a consciência como a base, eu considero a matéria como derivada da consciência”. Sir Arthur Eddington, que provou a exatidão da teoria da relatividade de Einstein, disse: “Tudo através do mundo físico sugere aquela essência desconhecida que deve necessariamente ser a natureza de nossa própria consciência”.

A ciência moderna está assim enfocando as antigas verdades incorporadas na Ciência Védica de Maharishi. Esta tendência culminou na física da mecânica-quântica com a criação de teorias de campo completamente unificadas. Essas mais recentes teorias das supercordas supersimétricas, indicam que todos os campos básicos de força e partícula que estruturam o universo, têm sua origem comum em um único campo fundamental. Esse nível mais básico do funcionamento da natureza é considerado a origem de todas as leis da natureza, o nível mais condensado de inteligência apresentado em toda a criação. Através dessas teorias do campo quântico, a ciência moderna veio a entender que todas as leis da natureza responsáveis por conduzir toda a atividade na criação, emergem desse campo fundamental único.

Além disso, qualidades desse campo fundamental – geralmente chamado Campo Unificado – levaram físicos de vanguarda a postular que o campo mais básico identificado nessas recentes teorias seria precisamente um campo de consciência pura. Na visão de físicos teóricos como John Hagelin, somente uma tal teoria pode explicar o Efeito Maharishi – ao identificar um campo de consciência subjacente e ilimitado através do qual ondas de coerência podem irradiar-se através da sociedade. Nas palavras do Dr. Hagelin, “as premissas do Efeito Maharishi podem assim ser vistas como consistentes com a identidade proposta entre a consciência pura e o campo unificado”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Post Navigation